domingo, novembro 12, 2006

O melhor de nós

No início do século passado Guerdjef já falava em autoconhecimento e na importância de saber viver… Não tive muita paciência para pesquisar sobre o senhor russo mas há regras bem interessantes.

Por outro lado, na minha opinião, cada um vive a sua vida o melhor que pode e isso já é viver bem, certo? Eu cá prefiro as minhas regras... um pouco toscas, às vezes,... mas são as minhas.

As regras... para se viver melhor, segundo Guerdjef, o russo:

1 - Faz pausas de dez minutos a cada duas horas de trabalho, no máximo. Repete essas pausas na vida diária e pensa em ti, analisando as tuas atitudes. 2 - Aprende a dizer não sem te sentires culpado ou achar que magoaste. Querer agradar a todos é um desgaste enorme. 3 - Planeia o teu dia, sim, mas deixa sempre um bom espaço para o improviso, consciente de que nem tudo depende de ti. 4 - Concentra-te numa coisa de cada vez. Por mais ágeis que sejam os teus quadros mentais, vais cansar-te em demasia. 5 - Esquece, de uma vez por todas, que és imprescindível. No trabalho, em casa, no grupo habitual. Por mais que isso te desagrade, tudo anda sem a tua actuação, a não ser, tu mesmo... 6 - Abre mão de ser o responsável pelo prazer de todos. Não és tu a fonte dos desejos, o eterno mestre de cerimónias... 7 - Pede ajuda sempre que necessário, tendo o bom senso de pedir às pessoas certas. 8 - Diferencia problemas reais de problemas imaginários e elimina os imaginários, porque são pura perda de tempo e ocupam um espaço mental precioso para coisas mais importantes. 9 - Tenta descobrir o prazer de factos quotidianos como dormir, comer e tomar banho, sem também achar que é o máximo a conseguires na vida. 10 - Evita envolver-te na ansiedade e tensão alheias enquanto ansiedade e tensão. Espera um pouco e depois retoma o diálogo, a acção. 11 - Família não é a tua pessoa. Está junto a ti, compõe o teu mundo, mas não é a tua própria identidade. 12 - Entende que princípios e convicções fechadas podem ser um grande peso, a trave do movimento e da busca. 13 - É preciso ter sempre alguém em que tu possas confiar e falar abertamente ao menos num raio de cem quilómetros. Não adianta estar mais longe. 14 - Sabe a hora certa de sair de cena, de retirar-te do palco, de deixar a roda. Nunca percas o sentido da importância subtil de uma saída discreta. 15 - Não queiras saber se falaram mal de ti e nem te atormentes com esse lixo mental; escuta o que falaram bem, com reserva analítica, sem qualquer convencimento. 16 - Competir no lazer, no trabalho, na vida a dois, é óptimo... para quem quer ficar esgotado e perder o melhor. 17 - A rigidez é boa na pedra não no homem. 18 - Uma hora de intenso prazer substitui com folga 3 horas de sono perdido. O prazer recompõe mais que o sono. Logo, não percas uma oportunidade de divertir-te. 19 – És o que fizeres.

3 comentários:

mfc disse...

Uma lição de vida.
Interessantíssimo.

Ines disse...

li tudo!
o que ficou... acima de tudo a história dos 100 km, realmente a distância torna-se tão relativa...

Beijinhos amiga!

Cristina disse...

Bahhh... Acho que esse senhor precisava de uns momentos de esquizofrenia como os nossos em noites de acampamento. Isso é que era!! :) Eu cá nem regras tenho... é o caos completo e absoluto!