terça-feira, novembro 25, 2008

Despedida


Hoje ouvi: " Pois é... temos de aceitar a vida!"
E o fim da vida? Aceito o meu fim mas não o fim daqueles que amo. Egoísmo? Não! Fazem-me falta... só isso.


"Que nenhuma estrela queime o teu perfil
Que nenhum deus se lembre do teu nome
Que nem o vento passe onde tu passas.
Para ti criarei um dia puro
Livre como o vento e repetido
Como o florir das ondas ordenadas."

Sophia de Mello Breyner

6 comentários:

Boop disse...

Pois é!
Fazem muita falta!!!!

;)

Vida Hi-fi disse...

Tão verdade. E onde guardamos as saudades?
A propósito, estou a ler neste momento um livro intitulado:Desatar o nó do luto.
Afinal de contas, mais cedo ou mais tarde, temos de o desatar.

as velas ardem ate ao fim disse...

Só faz falta quem esta connosco, incondicionalmente.

um bjo

Madalena disse...

A Sofia sabia o que dizia.

Escuta-a e interpreta-a.

:)

Bjs

mfc disse...

A morte dos outros que nos são próximos´representa sempre uma certa encenação da nossa.

Dias disse...

A Sophia que me desculpe mas hoje outros verbos a suplantam.

Adorei este, parabéns!

(e tenho este feeling que o autor da ilustração não me é nada estranho...)

Beijo