domingo, janeiro 21, 2007

O Mar


Em meditação... com o mar ao meu lado. Ausente não sou diferente "...eu ando nas margens da corrente... à toa, eu ando nas margens da corrente..."

2 comentários:

Ines disse...

Permite-me deixar-te Pessoa:

Prece

Senhor, a noite veio e a alma é vil.
Tanta foi a tormenta e a vontade!
Restam-nos hoje, no silêncio hostil,
O mar univeral e a saudade.

Mas a chama, que a vida em nós criou,
Se ainda há vida ainda não é finda.
O frio morto em cinzas a ocultou:
A mão do vento pode erguê-la ainda.

Dá o sopro, a aragem - ou desgraça ou ânsia -
Com que a chama do esforço se remoça,
E outra vez conqistemos a Distância -
Do mar ou outra, mas que seja nossa!


Beijo

Pintelho disse...

Belo texto e belo epaço. Hei-de voltar!