quinta-feira, novembro 02, 2006

Oceanário

Ontem fui ao Oceanário com os meus lindos sobrinhos! Tantos peixinhos... tanta vida. Os olhos dos meus dois pimpolhos - sobrinhos, claro! - brilhavam de emoção. Houve um momento em que me vislumbrei só, a cuscuvilhar os movimentos dos seres aquáticos de uma minúscula janela... enfim... a imaginar a imensidão do mar e todos os seres que embala. De repente sinto alguém a tocar na minha perna, a puxar-me... quando olho vejo a minha sobrinha com um grande sorriso e pergunta-me com um tom de voz exaltado "porquê tia?"



Mar Sonoro
Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim,
A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho,
Que momentos há em que eu suponho
Seres um milagre criado só para mim.

Sophia de Mello Breyner Andresen

2 comentários:

Marta_Saldanha_Aldim disse...

Quando fui ao Oceanário com a Mariana, foi uma imensa loucura.
Com tanto peixe, tanta água...
Queria levar tudo para casa. E ainda rematou com "Mãe, compra!"
Beijinho
Marta

Ines disse...

O poema da Sophia é fantástico!!!!
Ainda hoje de manha, depois de deixar a Sara passei pela praia, o mar é realmente maravilhoso!

(A C também - estou mesmo a imagina-la! - :-) eles às vezes dizem cada coisa...!)

Eh eh eh